sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Eu não quero falar de amor

Eu não quero falar de amor. Não desse amor que me devora por dentro, sufocante. Eu quero falar de verdades, de ciência. Eu não quero falar de amor, que não é nenhuma ciência, porque dele nós temos um conhecimento parcial. E tudo que é inacabado demais se torna algo extremamente subjetivo. E ao contrário disso, eu busco a objetividade. Eu não quero falar de amor. Daquele amor que se diz eterno, mágico. Quem me garante que ele existe? Longe, bem distante eu sinto seus sinais. Não por vontade própria. Mas, por impulsos incontroláveis. Eu não queria ser dependente de nada que me fizesse pensar demais. De nada que eu lutasse para esquecer. Eu não quero mais me enganar. É certo que tendemos nos tornar brutalmente dependentes da presença de alguma pessoa. Queremos que ela esteja sempre ao nosso lado, o mais junto possível. Se tendemos a nos apegar a um cilindro de tabaco, o que dizer de um ser humano que aparece como um remédio para todos os nossos grandes males? Eu não quero mais falar de amor.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Mensagens de texto

Na medida do possível, tudo parecia normal. Foi quando aquela mensagem de texo com entrelinhas que eu não conseguia decrifrar, causou em mim um turbilhão de sensações diferentes. Aos poucos, sem que eu ao menos percebesse, meu mundo passou a girar em torno de mensagens de texto ... Era necessário me desculpar por erros desnecessários de quem precisava chamar atenção. Era necessário revelar por singelas palavras tudo o que eu gostaria de que você soubesse. Meus sentimentos, vontades, confissões. Estranhamente, meu humor dependia cada vez mais dessa caixa de entrada que mais parece um enigma. Misteriosa e improvável como você. Improvável... Assim como todas as suas respostas. Eu só preciso que você alegre meus dias, constantemente. Me envie sentimentos transcritos em uma tela minúscula de um aparelho que parece ter perdido todos os demais "sentidos" a espera de suas mensagens de texto. Lindas, ainda que enigmáticas. Um dia sem teu sorriso é um dia perdido. Então, por que não sorri para mim por meio de palavras? Eu espero por elas, diariamente.